Novidades

Oi Gente, 

Já começo me desculpando. Sei que sumi, sei que tem um tempão que abandonei isso aqui, mas a vida deu muitas voltas nos últimos meses e aqui estou eu vos escrevendo do outro lado mundo (de novo). Estou eu aqui, de volta pra minha terrinha, pra minha casa. Muitas dúvidas, medos, mas também muita esperança em um novo recomeço e mais ainda no futuro que me aguarda. 

Sobre "a novidade", o blog vai passar de projeto para a realidade. Andei estudando e pesquisando bastante nesses últimos meses, consegui reunir uns amigos e pretendo me aliar a outros e trazer um conteúdo bacana pra vocês. Quero dividir mais do que frases, prosas e pensamentos, quero dividir coisas gostosas e interessantes com vocês. 

Não vou me demorar muito por aqui porque enquanto venho aqui escrever já estou mandando modelos de layout, trocando ideias e tarefas com os meus colaboradores, parceiros e amigos. Breve pretendo vir aqui deixar o novo endereço da minha casa interior.

Por hoje é isso.

Janaina de Oliveira

Amanhecer


Hoje eu acordei feliz, olhei pra minha cama e vi nós três deitados, cada um com seu espaço nessa kingsize monstruosa, cada um com um pedacinho mais ou menos proporcional. Acordei e meu sorriso frouxo não pôde ser contido. Haaa você há de me desculpar, mas ele estava mais charmoso que de costume essa manhã.

Você também estava, mesmo com seus olhos azuis cobertos pelo seu profundo sono. A tranquilidade do seu sono após uma noite de insônia me lembrou meu grande amor que ficou do outro lado do mundo, que viajou por entre vidas depois que parti. Nessa manhã, a sua respiração era igual a dele. Que engraçado, você dormiu de óculos, nem se quer teve tempo de tirá-los ou apagar as luzes antes de apagar o seu próprio corpo.

O olhei para o nosso black guy deitado no espaço que sobrou da cama, mas era tanta malícia naquele corpo esticado e preguiçoso que eu mal pude conter a vontade de beslicá-lo. Mas não seria justo com ele acordar naquela hora, não seria justo com você, mas para mim era o melhor momento do dia.

Assim a manhã foi passando, eu sentei discretamente na minha parte da cama e comecei a ler, eu já estava me sentindo recuperada da enfermidade que me atacou na noite anterior, já estava me sentindo abençoada de novo se não fosse por pequenas preocupações (baratas diga-se de passagem).

A cabeça começa a lembrar do coração, aquele coração cheio de saudade. Saudade de quem ficou do outro lado do mundo. O coração cheio de dúvidas: um dia a saudade vai passar? Algum dia a saudade vai mudar de lugar junto comigo? A partir de agora a saudade vai ser pra sempre? Será que o tempo é capaz de empurrar pra baixo do tapete as nossas boas lembranças? E as ruins? O que será que o destino prevê pra minha vida?

Custa a relaxar quando a maior das perguntas precisa ser respondida com certa urgência: Em que hemisfério você estará no próximo ano?


Janaina de Oliveira

Passeando em pensamentos


Tantas vezes me pego sonhando acordada, imaginando como será minha volta para casa. Me imagino pisando naquele espaço que era meu quarto, que foi minha casa, meu santuário e meu refúgio por tantos anos. Soube há alguns meses que meu pai até pintou ele da cor que eu queria para quando eu voltasse.

Em pensar que tudo foi planejado ali dentro, que foi lá onde teci tantas e importantes partes da minha história. Tantas vezes eu sonho com o dia que vou voltar a deitar naquela cama encostada na janela que fica de frente à pequena área de plantas da casa. Tantas vezes quis estar lá deitada sentindo os pingos das chuvas de verão molhar os meus pés.

Saudade é um sentimento que se mantém constante no coração de quem ama, com o tempo a gente aprende a conviver com ela, até consegue criar um laço de amizade e começa a ver beleza onde antes só existia dor. Mas em alguns dias a saudade extrapola e arrebenta no peito. A saudade da presença, da respiração suave, dos cheiros, sons e sabores. A saudade do que não vai voltar mais (pelo menos não nessa vida).

Hoje fechei os olhos e me vi naquele quarto, naquele mundo só meu que nunca foi pequeno pelo simples fato da minha alma sempre dar um jeito de voar longe. Lembrei de tantos momentos atuados naquele palco, lembrei de tantas lições aprendidas naquela classe.

Quando eu fecho os olhos e procuro um porto seguro, ainda é pra lá que os meus pensamentos me levam, é para varanda fresca no quintal de casa, para as madrugadas interrompidas pela vontade de saber o que existia depois das grades, de onde vinham aqueles sons, aquelas luzes.

A vida parece um eterno perde e ganha, vem e vai, sim e não. No fim a diferença não é caminho que você escolhe, mas a escolha de escolher. No fim o que importa é a maturidade para arcar com as consequências da suas escolhas, aprender a trilhar o caminho que você escolheu sem medo, seguir adiante quando as adversidades te empurrarem para traz, saber voltar atrás quando perceber que o caminho não é mais interessante para você.

Não sou ninguém para dizer como você deve seguir a sua vida, mas esse foi o melhor jeito que eu achei de levar a minha vida. E eu, continuo sempre esperando que você aproveite o tempo da sua vida.

Janaina de Oliveira



Valentine Song

Eu não sei vocês, mas eu passei meu Valentine's Day muito distante do meu date, que hoje não é mais date é namorado :) Pois bem, eis que estou planejando um outro Valentine's Day pra gente, numa data diferente e só nossa (uhh que brega).

Bom, não sei ainda o que vou fazer no dia, mas já sei qual a música que vai ser trilha sonora. Antes de mostrar pra ele, vim aqui dividir com vocês, porque eu sou o tipo de pessoa que não aguenta guardar nada pra si próprio.

A música é Valentine Song (que original!!), composição da cantora Lotte Mullan, que mais me parece uma doida varrida escrevendo um diário na internet para xingar o mundo das gravadoras americanas (gosto dessa menina). A música é bem fofa e tem uma leve pegadinha country no fundo, que definitivamente ganhou meu coração. 

No mais, a música me fez refletir bastante sobre o valor que damos as “coisas” X valor que damos aos sentimentos. Fica para vocês a proposta do debate interno.




Janaina de Oliveira

Voltando

Só uma fotinha pra mostrar minha nova hometown :)

Gente que é isso!? Depois de séculos sem vir aqui atualizar, tomei vergonha na cara e vim dar uma passadinha. A passadinha vai ser rápida, contar as últimas já que MUITA coisa aconteceu nos últimos tempos e a big mudança que eu falava e esperava, mas achava que não teria coragem de fazer acontecer, aconteceu!

Ás vezes as gente não se reconhece nas coisas corajosas que faz né? Que bom que a vida é assim. Ultimamente ando orgulhosa da minha coragem. O que mudou? Tudo. Mudei de trabalho, de vida, de cidade. Estou morando em Seattle, sim na outra costa dos Estados Unidos, mais longe ainda de casa, 4 horas de diferença de fuso horário.

A vida aqui é outra, mais responsabilidades, mais trabalho, mais felicidade e mais amor. Só espero agora ter mais força para tocar alguns projetos pessoais. Continuo sem tempo e sem vontade de praticar exercícios, tendo muito sono. Mas a primavera já chegou e mais um mês e pouquinho o calor deve estar de volta e eu espero que com ele minha disposição para correr e voltar pras artes marciais.

No mais, espero vir aqui dividir algumas inspirações com vocês. Meus dias têm sido mais coloridos, Seattle é uma cidade linda, pretendo falar mais dela pra vocês. Também comprarei uma câmera em breve, nas próximas semanas, e sem dúvida dividirei as cores da minha nova vida com vocês.


Janaina de Oliveira

Diário de viagem – Nashville, TN

Preciso escrever aqui?
Nashville é uma cidade incrível, não tem como não ficar de boca aberta e cara de bobo quando você chega lá. É uma das cidades musicais dos Estados Unidos e você respira música em todos os lugares.

Cerveja produzida no Tenesse
Já no dia que chegamos tratamos de aproveitar a downtown da cidade e tivemos uma maravilhosa noite regada a country music e cerveja bem gelada. As ruas estavam lotadas de jovens circulando nas ruas. É incrível a variedade de bares e restaurantes abertos durante toda a noite e a facilidade com que você pode simplesmente pular de um pro outro.

Brodway, Nashville
A cada esquina um Elvis Presley fazia pose pra foto com turistas. A cidade é conhecida por ser berço de muitos artistas famosos e tem sido nova opção de moradia para diversos novos artistas. A região também é conhecida como a terra do Jack Daniels.

A vontade de voltar permanece
No dia seguinte andamos pela cidade em buscas de lembrancinhas. Gostaríamos de ter visitado o museu do Jonny Cash e a refinaria do Jack Daniels, mas de última hora tivemos que mudar os planos e voltar pra casa mais cedo e o que era pra ser uma viagem curta, se tornou curtíssima. Porém ficaram os bons momentos e as fotos de uma viagem louca de ultima hora.


Quem sabe ainda não rola uma volta até lá, eu iria adorar!

Janaina de Oliveira

Diário de Viagem – Lousville, KY

Lousville, a cidade do Jóquei

No finalzinho do ano descobri que teria alguns dias livres antes do ano novo e como não me programei pra nada (leia-se estava quebrada/pobre/sem grana), me veio a ideia de usar o carro para fazer uma round trip “por aqui” pelas redondezas.

A ideia inicial era encontrar umas quatro meninas para dividir o gás, mas no fim acabamos viajando somente eu e uma outra menina, a Ju. Nisso seguimos caminho para o nosso primeiro destino, a rústica cidade de Lousville.

Natural Bridge

Levamos um dia inteiro de viagem para chegar lá, porém no caminho paramos para conferir uma das belezas naturais da Virgínia, a Natural Bridge, um parque onde é possível conferir uma gigante ponte natural, típico presente da natureza. Não ficamos muito tempo no parque pois estava muito frio e grande parte do caminho estava coberto por gelo.

No meio do caminho, a West Virgínia 

De lá fizemos algumas paradas para comer já no estado de West Virgínia e a noite finalmente chegamos no nosso primeiro destino, Lousville.  Na nossa primeira e única noite seguimos para conhecer a downtown da cidade.

As magias de Lousville

Muito bar, música e dança country foi o que encontramos por lá. Rapazes animados, cerveja barata e um sotaque delicioso. O policiamento nas ruas também não me passou despercebido, polícia em todo local. Essa foram as primeiras impressões da cidade.

Os antigos barcos a vapor que atravessam o Rio Ohio

No segundo dia, saímos para explorar a cidade a luz do dia. A ideia era começar o dia fazendo um passeio de barco pelo rio Ohio, mas veja que maravilha, eles não fazem passeio no inverno. Ô inverno que eu amo #sóquenão.

Lousville Slugger Museum
Acabamos andando pela cidade e visitando o Slugger Museum (que também é fábrica) de tacos de baseball. O tour foi incrível, conhecer a história desse esporte que é tão famoso nos EUA, foi uma parte muito bacana da viagem.

Minha companheira de viagem

A viagem foi curtinha e nesse mesmo dia acabamos pegando a estrada de novo, dessa vez com destino a chamada capital do country music, Nashville, no Tenesse.

Janaina de Oliveira


Isso aqui é sobre sentimento



O que eu vim escrever hoje é sobre viver uma história de amor, dessas mesmo que se contam nos livros, que você assiste nos filmes de Holliwood e acha que tudo acaba quando a tela preta cheia de letrinhas aparece. Uma história daquelas que é cantada nos clipes super pops de Jason Mraz.

Do nada, um dia na vida, você resolve viajar sozinha. Arruma as coisas, compra as passagens voando e paga o hostel antes que o impulso passe e você desista.

Durante a experiência de viajar sozinha você se descobre e descobre um mundo novo, descobre que precisa se virar by yourself e que todas as experiências são só suas. Daí você conhece um grupo de pessoas viajando e uma delas, em especial, acaba mexendo com você. Sim, vocês trocam telefone na despedida e onde a viagem termina tudo começa.

São curtos textos enviados dia e noite de um lado do país para outro, de uma ponta do mundo pra outra. A linda tecnologia ajudando os corações distantes a estarem mais próximos. Depois de poucos dias, a promessa do reencontro fica firme e vira realidade.

Caramba! Mas que aposta alta você fez! E que prêmio você ganhou, esse sentimento estranho que cresce a cada dia. Um sentimento que ultrapassa fronteira e talvez até o tempo, talvez.


E quando a saudade aperta muito, as ideias loucas vêm à tona. Mais um tempo e os corpos e almas precisam estar juntos de novo, a vida clama por isso. Mais alguns meses e o reencontro acontece mais uma vez.

Janaina de Oliveira 

Mudanças



Eu não sei por que ainda tenho esse sentimento de medo dentro de mim e o que é pior, ainda deixo que ele me controle. Eu bem sei que a gente sempre deve seguir a nossa intuição, se você quer o bem e procura melhorar então o seu caminho não deveria ser desviado, a sua aura é boa e o destino vai trabalhar junto com você.

A mudança de planos está bem presente da minha vida e por um tempo esperei que isso não passasse de uma fase, mas sabe aquela frase que diz que o que você não quer ver e aprender a vida esfrega na sua cara? Pois bem, a minha está nesse exato momento esfregando na minha fuça, vaaai filha, vai sem medo.

Prepara a tua vida e parte pra mudança, nenhuma cruz é dada pra alguém que não pode segurá-la. Se a oportunidade veio pra você, não deixe ela passar.

Hoje recebi um texto que falava sobre se importar com o que os outros pensam, pois bem, vivo a minha vida toda nesse dilema, o que o outros vão pensam se fizer isso ou aquilo? Realmente queria chutar o pau da barraca, mas ainda não consegui.

Porém aos poucos a vida vai seguindo seu rumo e as coisas vão se ajeitando.

No mais é trabalhar para os próximos planos que estão vindo, me desejem boa sorte, porque a mudança mais uma vez vai ser grande!

Janaina de Oliveira

E mais uma vez, sobre o Amor



“A maior energia de união é o amor”

Bem, comecei o texto de hoje com uma frase que li hoje. A frase foi retirada do livro “Só o amor é real”, do escritor Brian Weiss. Esse livro foi presente de um querido amigo e tem me ajudado bastante nesses dias conturbados e duvidosos.

O engraçado é que  essa é a primeira vez na minha vida que leio/ouço essa frase, mas o conhecimento embutido nela me foi apresentado há algum tempo atrás e se mantém vivo até hoje.

Tantos quilômetros me distanciam hoje das pessoas que eu amo e em nenhum momento meu amor por elas sumiu ou ficou menor, em nenhum momento o meu amor deixou de ser forte.

Parece que os últimos tempos têm me trazidos lições sobre a força do amor, sobre como o amor se espalha pelo tempo e dimensões, sobre como o destino de cada um é traçado com linhas fortes. Eu tenho cada vez mais acreditado que Deus tem um plano de vida e missão para cada um de nós aqui nessa existência.

Se eu ainda tenho medo? Sim, todos os dias. Mas eu também o enfrento a cada manhã quando meus olhos se abrem e tento trabalhar minha mente para ser mais forte a cada instante eu passa.

As minhas roupas continuam pesando nos meus ombros e me protegendo de dias frios e cinzas, mas o amor há de permanecer intacto no calor do meu peito.


Janaina de Oliveira

Um sonho



Essa noite eu tive um sonho, queria registrar aqui porque não quero esquecer dele. Sonhei que estava de frente pro Rio São Francisco, exatamente na Ilha do Ouro, como eu tenho tanta certeza do lugar? Aquela vista eu não vou encontrar em nenhum lugar do mundo. Algumas embarcações antigas passando no rio, aquela brisa e por um instante lembrei que deveria estar em outro lugar, em outro país... Uma sensação de calma me invadiu, continuei ali parada, observando os barcos irem e virem. Aproveitei até o último segundo do meu sonho porque eu estava certa que logo ele chegaria ao fim. Dito e feito, acordei e voltei pra minha vidinha aqui.

O que esse sonho tem de tão especial? Vamos por partes que hei de explicar.

Quando completei um mês de vida na terra do Tio Sam eu tive um outro sonho que me marcou muito. Sonhei que estava em casa, rodeada dos meus amigos e dos meus parentes, muito feliz comemorando sei lá o que. Daí, o mesmo estalo me bateu, eu não deveria estar ali, eu ainda não tinha feito um curso, meu inglês estava uma porcaria, eu não tinha viajado pra lugar nenhum. Começaram as perguntas desesperadas: Como vou voltar? Com que visto? Vou voltar pra onde? Vou fazer o que lá? Como ficou minha host family sem mim? Nisso acordei de supetão e dei graças a Deus por tudo não ter passado de um sonho.

Pois bem, esse primeiro sonho se repetiu algumas vezes nos meus primeiros meses aqui.

Agora, o porquê de o meu sonho desta noite ter sido tão especial? Bem, a sensação de dever cumprido com si mesmo é algo que não se pode descrever.

Esses dias  eu estive um tanto agoniada, me dizendo que não saberia como ficar aqui já que meus projetos foram concluídos, tentei criar novos planos, fui e vim mil vezes e ainda estou nessa, com a cabeça cheia de dúvidas. Mas esse sonho me veio de presente para me fazer ter certeza de que, independente de qualquer decisão tomada, meu coração está em paz.


Hoje tenho a certeza que mais sonhos como esse virão :) 

Janaina de Oliveira