Momentos

Está nublado, parece que vai chover. Mesmo assim saio de casa, afinal preciso mesmo ir. Já está escuro e é tarde, são 8 ou 9 horas da noite, ando rápida e desconfiada, olho muitas vezes para trás, não parece haver nada de anormal, encontro um vizinho desejo-lhe boa noite. Sigo em frente com passos rápidos, sinto pingos de chuva caírem sobre meu rosto, aperto o casaco contra o corpo, olho em volta, uma leve brisa toca meu rosto, tudo parece tão calmo. Pensamentos começam a ir e vir dentro da minha cabeça, penso sobre a vida, seu sentido, penso sobre o que estou tentando fazer, para onde estou indo. Perdida em pensamentos nem me dou conta que a chuva engrossava. Começa a chover muito forte, vou para baixo de uma árvore que não vai me abrigar por muito tempo. Nesse momento penso seriamente em desitir, os olhos chegam a encher de lágrimas, me pergunto por que fui sair de casa, sentimentos estranhos, vozes rodam minha cabeça, olho para o relógio e é quando percebo, meu destino está a cinco minutos dali. O que é uma chuva diante de uma vida inteira? Mas, e se não der certo ? Uma das vozes soa forte. Ao menos tentei. Respondo corajosa para mim mesma. Ponho um sorriso no rosto, tiro o casaco e o entrego sem explicação alguma para a moça, que nesse meio tempo tentava se abrigar embaixo da mesma árvore. Ela me olha com misto de desconfiança e medo.

- Preciso arriscar - Respondo muito simpática.

Saio correndo na chuva, feito criança boba, sentindo a água bater no rosto, no corpo. Vou feliz, com a esperança de chegar e encontrar a minha espera uma bela toalha e um abraço aconchegante.

Janaina de Oliveira

Estar vivo

É assim que quero me sentir, só sentir. Parar de pensar, pensamentos só são bons numa tarde ensolarada de cara pro céu e esparramada no chão. Ao menos pra mim agora é assim. Coisas corretas não me atraem mais, elas perderam a graça, paixões. É isso, quero viver apaixonada todos os dias da minha vida. Apaixonada por tudo e todos, e por mim também. Afinal, eu sou muito narcisista. Olhar e ver o que ninguém consegue, tem gente que prefere não ver, eu prefiro ver e prefiro acreditar no que eu sinto. A confusão, às vezes, é inevitável, mas faz com que eu me sinta viva. Viver dói, crescer dói, aprender, na maioria das vezes, também dói, mas a dor é momentânea e passa. O que não pode passar é a alegria, a alegria de ter, de querer, de poder, de viver.


Bjos confusos
Janaina deOliveira

Apresentação

Oi, eu sou Janaina, alguns me chamam de Jana, outros de pqna, outros de tantas outras coisas, mas isso não importa. Quero falar do Blog, porque de mim irei falar muito no passar dos dias. Fiz esse blog no intuito de escrever e só. Escrever o que vier na telha, não tenho mais diário de papel como antigamente, andei sentindo falta de um esses dias. Daí pensei: por quê não um diário virtual?
Hoje vou postar um texto que escrevi a alguns dias atrás. Espero que gostem. =)

Bjos cosiais
Janaina de Oliveira