Happy Halloween

Bem-vindo halloween



Hoje é Halloween! Esse é o meu primeiro grande feriado na terra do Tio Sam, por isso toda essa empolgação, hahaha.


Abóboras e doces, não podem faltar


Eu estou amando o halloween. Nos últimos dias a decoração da minha casa mudou, as lojas de fantasias costumam estar lotadas, as fazendas cheias de abóboras e as casas estão cheias de doces.

As pequenas mudanças na decoração


Aqui em casa, colocamos plaquinhas de boas vindas, diversas abóboras, cavadas ou não e uma bruxinha esvoaçante na frente da casa. Também escolhemos fantasias e separamos nossos doces para as crianças.

Nossas 4 abóboras


Hoje a noite acontece o famoso "trick or treat", quando as crianças vão até as casas dos vizinhos na rua pedir doces. No fim de semana algumas festas à fantasia devem acontecer para a felicidade da nação jovem. 

É isso aí, breve teremos mais diário de viagem porque pós halloween estarei de férias e novos destinos virão \o/

Janaina de Oliveira




Falando sobre decoração

Depois que cheguei aqui nos Estados Unidos ando descobrindo umas coisas estranhas sobre mim. Na verdade acho que venho mudando ou sei lá o que. O fato é que aqui eu descobri que gosto de decoração, nunca pensei que fosse tão divertido mudar a cara de ambientes.

Não, não. Isso provavelmente nunca vai ser profissão, mas ultimamente ando gastando preciosos minutos do meu dia lendo blogs e buscando pequenas inspirações para o meu dia a dia nos instagrans e piterests da vida. Além de, é claro, sempre dar uma passada nas trift stores mais próximas :D

Bom, me aventurando nesse mundo resolvi que iria mudar as coisas no meu quarto e do meu banheiro. Nada de muito grande, afinal estou só começando [e também não tenho grana para grandes mudanças].

O caso é que quando cheguei aqui tudo era muito básico e sem cor. Meu quarto é muito confortável, mas ele não tinha cara de absolutamente nada.

Quarto


Antes: Cara de nada


O que fiz foi acrescentar cores que eu gosto em diversas tonalidades. Amo roxo e azul, logo tratei de escolher um abajur nesse tom, que ia ser a peça chave do quarto, o abajur tem uma pegada étnica que eu adoro e que combina com a mandala que já estava aqui.

Abajur e nova roupa de cama deram ao quarto as cores que eu queria

O lençol da cama passou de vermelho pra azul com listras brancas. Escolhi algumas velas em diferentes tons de rosa e branco e alguns porta retratos pretos e roxos de diversos tipos para completar a produção.


O grande charme do quarto, minha parede fotográfica


Porém acho que o grande charme do quarto ficou por conta das dezenas de fotos coladas ao redor do espelho do meu closet. Isso era uma coisa que eu já queria ter feito no Brasil, mas não achava espaço no meu quarto, aqui ficou fantástico! E como eu não queria me desfazer da placa de boas vindas que recebi quando cheguei, usei outro pedaço de parede pra coloca-la juntamente com mais fotos.

Mesinha de canto com o candelabro em forma de abajur que achei em uma trift store

A decoração por enquanto é essa, lógico que acrescentarei mais e mais coisas com o passar do tempo, as mudanças por aqui estão só começando.

Banheiro


Antes


No banheiro as mudanças foram menores, Já que a maioria do meu money foi gasto nos itens para o quarto. O que quis fazer no banheiro foi dar uma cor para ele, que já tinha um fundo meio verde.


Depois


Ajudei a completar o tom de verde comprando um kit para escova de dentre e sabonete para pia, um prato para organizar os cremes que tento usar diariamente e um aromatizador de ambiente com uma florzinha branca na ponta. Achei que ficou bem clean e aconchegante.

E então? O que vocês acharam?

Janaina de Oliveira



Diário de Viagem - Houston TX

Eu nem queria ter como contar aqui todas as coisas boas que me aconteceram nessa viagem. Tanto sentimento bom, tanta descoberta, que nem tenho coisas ruins pra apontar. Essa foi a minha primeira viagem sozinha, preciso deixar isso muito claro pois essa foi umas das razões para ela ter sido ainda mais especial.

Saí de DC nervosíssima, imaginando mil e uma coisas que poderiam acontecer durante a minha viagem, como chata que sou 990 eram coisas ruins. Assim que entrei no meu primeiro voo, tive o prazer de conhecer um rapaz bem bacana que fez questão de me ajudar quando descemos na conexão para pegar o segundo voo, aquilo era um bom presságio. Na parada da conexão conheci minha companheira de assento do segundo voo, sem nem saber que ela seria, comecei a conversar na fila do avião, ela era Venezuelana e muito simpática. Depois disso, foi batata, bateu a sensação de que "sim, eu posso fazer isso".

Welcome to Houston, Texas

Quando desci no Texas, encontrei minha amiga virtual, que me levou para um delicioso e merecido brunch e de lá para o meu destino principal dessa trip.

UFC

O UFC 166 Velasquez X Cigano, foi o que me levou para Houston naquele fim de semana. Se alguém que me acompanha aqui no blog não sabe, já está mais que na hora de saber que sou completamente fissurada por UFC, daquelas doentes, que ficam pela hora da morte se perdem uma edição.
UFC 166

Pois bem, um dos sonhos da minha vida era ver um UFC ao vivo aqui nos Estados Unidos, pois bem, esse já risquei e pus um OK enorme do lado. 

O clima do evento é fantástico, as pessoas se aglomeram e viram amigas para comentar das lutas, vestem as camisas dos seus lutados preferidos, mostram suas bandeiras e bandanas e discutem sobre o esporte o tempo todo.

Urijah Faber

Antes do evento, o ocorreu uma festa onde alguns lutadores distribuiriam autógrafos para os fans. E aí aconteceu a minha primeira boa surpresa da viagem, o meu lutador favorito estava lá e ele iria disponibilizar alguns minutos para falar e tirar fotos com os fans. Bom, nem preciso dizer que transbordei de alegria e encurtado a conversa consegui meu tempo e minha foto com ele. Ponto pra mim, mais um sonho realizado.

O evento foi incrível, lutas de altíssimo nível, muita animação da torcida, fantástico! A minha noite de sábado terminou em uma balada pós UFC em um barzinho pra lá de aconchegante.

After party

Preciso dizer aqui que Houston é uma cidade de pessoas extremamente amigáveis e extrovertidas. As pessoas te recebem muito bem em todos os estabelecimentos e fazem questão de saber um pouco mais da sua vida, caso você queira conversar com elas.

Fiz o chekin no hostel às 3h da manhã, dá pra acreditar como a noite foi boa?

Novos Amigos

Minha primeira experiência em hostel foi incrível, achei um lugar bacana e confortável, pude conhecer gente do mundo todo e pagar muito pouco por isso. 

Novos amigos

Quando acordei no domingo no meu quarto dei de cara com três figuras esquisitas lá dentro e pensei: de onde veio esse povo? hahaha Mas as figuras esquisitas, ops, os meninos foram extremamente amigáveis e me convidaram, assim sem cerimônia, para ir com eles conhecer a base da NASA. 

Mas peraí, eu não conheço vocês, pensei. Respondi prontamente que sim, iria. Um dos rapazes era mexicano e os outros dois americanos, vindos de Seatlle. Durante o café da manhã um alemão se juntou ao nosso time e seguimos caminho para a famosa NASA.

A NASA é incrível, tivemos um great time lá, no local você consegue absorver muita coisa sobre a história dos Estados Unidos nas viagens espaciais, avanços da áreas e noções do que está por vir no futuro da organização. Por sinal a NASA está buscando voluntários para a próxima experiência deles: a temida e esperada viagem para Marte. Se você se sente habilitado pode se inscrever através do site, só saiba que a viagem durará pelo menos 2 anos. Parece muito ruim? 

Toda a paz de Kemah

Depois da NASA partimos para conhecer um local com uma grande sidewater, uma cidade vizinha e portuária chamada Kemah. Belo lugar, com parques de diversões se diversas opções de comida e drinks divertidos. Acabamos ficando lá até as 9pm.

Voltamos ao hostel e dormir? No way. Fomos explorar mais da downtown em Houston. Encontramos um bar e terminamos por lá, jogando jogos americanos que eu nem lembro o nome.

Para descontrair um pouco, hahaha

O dia seguinte foi um dia cheio de despedidas, trocamos telefones e desejamos nos encontrar em breve, os americanos me deixaram no aeroporto e partiram e eu fiquei com o dever de cumprir a promessa de ir visitá-los no mês que vem em Seatlle. 

Mais posts para vocês :D

Janaina de Oliveira

Diário de viagem - Portsmounth VA

Bom, deixa eu começar avisando que foi uma viagem a trabalho, curta e no meio da semana, logo creio eu que não aproveitei tanto assim. Porém o lugar é lindo, calmo e com muitas opções de divertimento durante o dia, deve ter um museu diferente em cada esquina (ou quase isso).

Welcome to Portsmounth

Portsmounth é uma cidade portuária pertinho de Virgínia Beach. Uma cidade com muitos militares e uma população reduzida. É uma cidade que presa muito por sua história, prova disso são os diversos museus náuticos da região.
Acredite, aqui é o museu para crianças

Eu viajei para lá de carro, são mais ou menos 4h de viagem daqui pra lá. Ficamos hospedados em um hotel enorme e superconfortável, o Renaissanse Portsmounth Hotel.
Vista do hotel

Na segunda-feira mesmo saí para explorar a cidade com o meu baby, encontramos diversas ruas charmosas e o famoso museu infantil, gastamos muito tempo lá dentro. Comemos e seguimos para o museu de esportes da Virgínia. Great time! Além do históricos de times de diversos esportes você encontra espaços para a prática de esportes, simulação de jogos e corridas, espaço para assistir qualquer jogo e espaço para exercícios aeróbicos. Lugar realmente interessante!
Um pouco do charme da arquitetura do local

Durante a noite, no final do meu expediente, procurei um local para tomar uns drinks e por indicação encontrei o Still, um bar bem charmoso e diferente, localizado no porão de uma casa antiga da região. Infelizmente no local não tinha muita gente, afinal é difícil encontrar pessoas bebendo numa segunda a noite. 

Se bem que a realidade no bar do hotel, pra onde voltei depois de dois drinks que tomei no Still (fortíssimos diga-se de passagem), estava bem diferente. Sentei e conversei com algumas pessoas, mas não consegui beber mais de uma cerveja.

Molotov Cocktail, time to good drinks


Na terça-feira peguei um catamarã e atravessei até Nortfolk, outra cidade incrivelmente charmosa com seus diversos monumentos em homenagem à Marinha Americana. Andei pelo enorme Pier da cidade e por algumas ruas próximas. 
Todo o charme de Nortfolk

Perto do almoço voltamos para o hotel e esticamos as pernas para depois dirigirmos até nossa casa.
Foto minha e do meu baby que foi parar na sala de estar

Essa danada de viagem foi a grande responsável por todo o cansaço que vim reclamando nesses dias. Mas por fim, acho que dormi o suficiente para aguentar a próxima.

Até lá! 

Janaina de Oliveira 

Mais uma cerveja

Preciso de mais uma cerveja agora. Essa luz fosca desse bar tem me incomodo mais nos últimos dias. Desde que eu encontrei ele, aquele patético idiota que frequentava as aulas de natação comigo.

Sim, nós éramos diferentes, ele podia pagar as classes e o pai dele era alguém influente no bairro, ele não era nada demais, mas como ele tinha um carro híbrido da moda, todos diziam que ele era rico e melhor que qualquer um. 

Besteira, eu era melhor que ele, sempre fui. Eu era melhor que todos dentro daquela piscina imunda e mal iluminada, mal iluminada do mesmo jeito desse bar, com essas luzes coloridas ofuscando meu olhar.

Eu detesto esses lugares, esses muquifos. Mas eu gosto da música, essa Juke Box velha toca sons da minha infância, da época que eu era o melhor nas piscinas, da época que eu era o melhor.

Mas aquele babaca me encontrou, me encontrou aqui. E com toda a pompa de domador de leões de circo veio até mim e lembrou-me de todas as coisas idiotas que já fiz. Lembrou-me dela, a menina que ele me roubou. Mas ele não lembrou que eu era o melhor nas piscinas.

Eu só fiquei olhando ele me falar de todas as derrotas da minha vida. Aquele não era um dia bom, o meu patrão pegou pesado comigo quando me chamou de estúpido e disse que ia descontar do meu salário a encomenda que quebrou quando a entreguei.

Aquela não era uma boa noite... Não era uma noite como hoje. Hoje eu posso pensar.

Saí do bar calado e acendi um cigarro do lado de fora, sabia que ele iria até lá para abrir sua boca por mais um tempo, ele não se conforma com alguém que é indiferente as suas ofensas. Assim que ele chegou e começou a e perguntar coisas que eu nem sei mais o que eram acertei a cabeça dele bem forte com aquela madeira do fundo do bar.

É claro que no outro dia as pessoas sabiam quem tinha matado o filho do vereador da cidade vizinha, mas ninguém se importava o bastante para contar nada. Ninguém se importou com um falastrão morto na sarjeta.

A próxima música já vai começar, onde está a próxima cerveja? 

Janaina de Oliveira