Sonhos



As pessoas falam muito em realizar sonhos. As pessoas tentam a todo tempo incentivar os sonhos, mas no fundo ninguém diz a verdade sobre eles. 

Todo sonho é uma batalha árdua, pesada e difícil. Primeiro você luta para poder simplesmente desejá-lo, você luta para ter sua ideia de vida e permanecer com ela, muitas vezes essa parte não é fácil, pois por todo canto você tem pessoas querendo plantar a ideia delas na sua cabeça. Depois você gasta o seu tempo e neurônios traçando o melhor caminho a seguir. Começa caminhada e se depara com mil dificuldades, mas você é forte e vai até o fim.

Para a maioria das pessoas (aquelas que na verdade não sabem o que significa realizar um sonho) a jornada acaba aqui, a batalha terminou e você venceu. Viva! 

Mas espere aí que a vida nunca é tão simples assim. Justamente agora, no momento que tudo "são flores" é que começa a parte mais intensa do processo. Essa é a hora que o sonho enfim se realiza.

Não quero vir aqui colocar terror em ninguém, mas é aqui que os grandes medos aparecem, as grandes emoções e sensações acontecem e você começa a lidar com o mundo exterior do seu sonho. Agora o seu sonho não está mais só dentro de você, ele ganhou o mundo e com ele sua proporção multiplicou de tamanho.

Aqui um ponto tem que ser dito, geralmente o seu sonho não é o que você esperava, ele é maior. Um sonho realizado é um fardo, um fardo pesado, um fardo que todos queremos ousar carregar, mas que nem todos conseguem.

Sonhar é de graça, realizar custa muito. Muito trabalho, muito esforço. "Live the dream" pode ser lindo estampado nas peças de uma grande campanha publicitária com pessoas felizes exibindo suas conquista. Mas viver um sonho é um trabalho para ser feito durante toda a vida.

Um sonho nunca acaba nele mesmo, o sonho sempre vive em você para sempre. Por mais que se passem os anos, por mais que você abandone o que desejou, as lembranças e conquistas permanecerão com você. Você cresceu, você melhorou, você mudou para sempre.

Janaina de Oliveira

Diário de Viagem – Ocean City, MD

Essa viagem foi curtinha, só um fim de semana, saímos no sábado de manhã e voltamos no domingo a tarde, mas ela teve um gostinho muito especial para mim, pois foi um reencontro com a praia.
Eu amo praia!

Haa como eu senti saudade daquela areia roçando na pele e daquela brisa marinha cheia de sal grudar nos meus cabelos, uma das coisas que ouvi aqui e aprendi sobre mim, eu sou uma beach girl, totalmente.
Todo o prazer de uma beachtown

Chegamos em Ocean City a tarde e ainda pude aproveitar o final de tarde na praia, estava um pouco triste no últimos dias, com saudade de casa e cansada. Foi só colocar meus olhos naquele mar que as lagrimas desceram sem piedade. Aquele lugar realmente me fez lembrar de casa.

À noite fui com minhas hosts em uma balada local chama "Seacrets" e nunca pensei que seria tão possível me divertir tanto com elas, rimos das pessoas dançando, arriscamos a salsa e fui na cara dura me apresentar para um cantor Jamaicano lindo e super badalado.
Tava frio, mas eu nadei 

No dia seguinte levantei com a temperatura lá fora beirando a 15° Celsius e decidir que ia nadar, afinal ir na praia e não entrar na água é brincadeira né? Lá fui eu congelar no mar. Renovador, muito bom ter decidido fazer isso, deixei lá tudo de ruim que precisava e pedir ao mar novas energias pra continuar a caminhada.
A felicidade numa foto

Voltamos pouco depois do meio dia e paramos para comer caranguejo, nem acreditei quando vi aquelas perninhas cozidas prontas para serem comidas, hahaha. Não era o mesmo caranguejo da minha terra, esses eram bem magrinhos para falar a verdade, mas eu adorei do mesmo jeito.

No fim, Ocean City só me deixou com gosto de quero mais, pretendo com certeza voltar lá no próximo verão. Não é longe daqui e os hotéis são bem baratos, lugar perfeito para uma trip de fim de semana.

Janaina de Oliveira