Cansada de nada



Ultimamente ando extremamente cansada. Fisicamente estou cheia de dores, dos seguidos treinos, circuitos e longas caminhadas, porém se paro alguns dias e saiu da minha rotina as dores parecem aumentar em dupla proporção, quase uma punição por deixar o meu corpo sem o exercício duro. 

Psicologicamente estou atordoada, até me sinto melhor essa semana. Na semana passada vivi um incidente muito estranho [eu diria até assustador], tentei dormi e acordava a todo instante assustada e com uma dor imensa embaixo da costela direita, o estranho é que a costela doía durante o sono, mas a dor sumia assim que eu acordava. Os sonhos eram sempre com projetos inacabados e dívidas que nunca se sanavam por conta da minha falta de coragem.

Juntando as duas coisas, eu estava um completo bagaço. Porém prometi que acabaria meus projetos e sanaria minhas dívidas, ou pelo menos parte deles que eu já vinham enrolando a algum tempo. Só abrindo um parêntese, as dívidas eram de ordem psicológica mesmo, tipo ajeitar os cabelos, unhas, ler mais, doar parte das minhas coisas, esse tipo de coisa. 

Consegui dar uns chutes e resolver algumas coisas, porém muitas estão emboladas no meio de campo. Pior que junto com a sensação de um milhão de coisas para fazer vem a sensação de que eu já não estou aguentando o que eu estou segurando, imagine o que está por vir.

Meu quarto tá super bagunçado, minhas roupas estão reviradas, preciso doar tantas coisas que nem cabem mais no meu guarda roupa e sabe o que eu faço? Compro mais, do nada, só um impulso besta. Preciso emagrecer, malho, malho, malho e não vejo resultado, o que a bonita aqui faz? Come um mega sanduba por dia. 

Sinceramente não sei mais o que fazer. Pareço uma criança mimada, uma adolescente rebelde, que sabe que as coisas tem que ser feitas de outra forma, mas por algum motivo faz o contrário. Não acho forças para mudar isso tudo. 

Acho que preciso voltar pra terapia urgente =/

Janaina de Oliveira

Parabéns encantador




Hoje uma pessoa extremamente especial faz aniversário. E não, não é comum eu escrever esse tipo de coisa no meu blog, felicitações e parabenizações. Não, também não vai virar uma rotina aqui. Porém hoje chegou o dia de escrever, em forma de presente, muita coisa que eu já estava com vontade de escrever a algum tempo.

A pessoa que faz aniversário hoje me encontrou a mais ou menos dois anos, digo que ele me encontrou porque eu andava tão distraída na época que sequer percebi que ele estava chegando tão perto. Foi uma época muito difícil, muito estranha e complicada, dessas em que você realmente sente que a pele está rompendo e você está crescendo do modo mais dolorido possível.

Ele chegou do nada, foi se aproximando e eu que andava toda desconfiada com tudo e com todos, mantive em pé minhas orelhas e andava pisando em ovos. Com o tempo a guarda foi baixando e bendita a hora, depois de tanto tempo, que a guarda baixou de vez e eu pude então abraçar de verdade e de peito aberto essa pessoa querida.

Tenho alguns companheiros(as) de jornada [amigos(as) de verdade] que sabem que sou uma pessoa de se apegar de verdade, de querer estar junto, de ter necessidade de saber como as pessoas estão, de me preocupar e resmungar quando estão sumidos. E todo mundo sabe que daqui a algum tempo, seja pelos atuais planos ou por outros que o destino coloque na linha da vida todas as pessoas se separam de algum jeito.

Eu detesto pensar em separação, porém nos últimos tempos a realidade da separação tem se tornado cada dia mais próxima. E eu estive pensando em como ir deixando as pessoas aos poucos, em como sobreviver sem elas. Daí eu me achei pensando na possibilidade de deixar essa pessoa e ir embora, quem sabe até pra sempre, já que ninguém sabe o que pode acontecer a cada novo segundo que passa.

Engraçado que ao invés da sensação desesperadora que eu achei que teria, me invadiu uma paz estranha, um sentimento com sorriso sutil nos lábios e uma calma incrível. Nesse momento eu percebi que encontrei uma pequena parte perdida de mim, alguém tão parecido comigo, alguém que consegue me entender pelo que vive e sente, alguém que não me julga.

Com todos esses sentimentos veio a certeza de que eu jamais estaria sozinha e de que em qualquer existência a gente ia se encontrar. Não tenho medo de me separar dele, dele não. Porque eu sei que logo estaremos juntos de novo, aqui, em outro lugar, em outra dimensão ou em outras vidas. Juntos como sempre estivemos.

Não importa aonde você vai, nem com quem vai. Talvez as coisas não saiam tão bem, talvez outra pessoa nos separe, mas o que a gente tem vai ficar para sempre. E eu sempre terei uma eterna dívida com você, seja pelos ouvidos emprestados, pelos abraços, pelas palavras de consolo. Seja por você não me julgar, por você sempre tentar me ajudar. Seja pelo simples fato de você fazer tudo melhorar só estando ao meu lado, só sorrindo comigo e fazendo qualquer tirada besta.

É incrível poder perceber quando se encontra alguém assim, eu preciso agradecer a todo o universo por isso. E preciso dizer que sou uma pessoa de sorte! No aniversário de hoje, a presenteada fui eu, nesses 2 anos e nas outras existências em que já nos encontramos antes.

Pois é Ayslan, você é o meu amigo mencionado no texto, hoje você fica mais velho e mais um ano da sua história vai ser tecida, eu espero estar próxima de algum jeito para fazer parte dela também. 

Parabéns pelo seu aniversário e parabéns por tudo o que você fez na sua vida, do início até aqui. Nesse meio, tenho certeza que até os piores erros foram válidos, já que hoje você montou essa personalidade encantadora, toda imperfeita, toda necessitada de ajustes [como a minha], mas incrivelmente encantadora.

Janaina de Oliveira

Estagnada




Esses dias eu andei estagnada, meio desanimada, não sei bem o que está acontecendo, mas parece que estou dando murro em ponta de faca, as coisas não parecem andar e o pior de tudo isso é que sinto que quem segura a tal faca sou eu.

Eu sei que preciso dar duro, preciso trabalhar, preciso me mexer, mas a preguiça tem tomado conta, uma preguiça que se meus sentidos não falham vem carregada de altas doses de insegurança. É muito melhor ficar na zona de conforto, ficar quietinha e ver a vida passar, esperar a inquietação do coração passar e se acomodar. 

Porém lá na frente você olha para trás e não construiu nada, não saiu do lugar, não fez grandes conquistas ou andou por cima do mundo. Eu não quero ser assim, eu quero lutar, mas esse luta interna está difícil de vencer, parece que quanto mais forte ficamos maiores são os desafios [nada mais justo]. 

Eu peço forças, a quem puder me dar, a quem puder me doar, me ajudar. Porque eu não vou desistir, preciso arrumar coragem seja lá onde for. Eu ainda estou no jogo viu? Ainda estou aqui, não me esqueçam! 

Janaina de Oliveira

Valentines Day




Então hoje é o Dia Internacional do amor né? Pois hoje vi um post, de uns dias atrás num blog que eu sigo e achei interessante, ele me fez pensar um pouco sobre esse sentimento tão complexo que é o amor. Poucos instantes depois descobri que hoje é o dia desse danado.

Não tenho muito costume de escrever em datas importantes, escrevi ontem por acaso e hoje estou escrevendo um pouco menos por acaso, mas não creio que isso vai se tornar um hábito por aqui. Continuando, fiquei pensando na nossa relação pessoal com o amor e até comentei que nós humanos não sabemos lidar com esse sentimento nos nossos dias.

Acredito que o amor é um sentimento muito intenso, muito 8 ou 80. Ou te faz um bem danado, de seus cabelos ficarem sedosos, sua pele macia e seu andar sensual, ou te deixa pra baixo, de você deitar e querer que mil dias se passem enquanto você está na cama e cobre a cabeça com um cobertor bem grosso. 

Nós, seres humanos, somos seres necessitados. Necessitamos de água, comida, sol, pessoas, lazer, trabalho, sexo, crescimento e sentido de vida. Buscamos atender nossas necessidades a todo momento. E como tal, necessitamos também do amor. Do amor-amigo, do amor fraterno, do amor de pai e mãe e do amor foguento (paixonite).

Agora como responder aos nossos desejos, às nossas necessidades? Aí fica a critério de cada um, podemos cultivar uma mente insaciável, voraz e exigente em relação às vontades ou podemos ensinar nossa mente a consumir somente o necessário para a sobrevivência e a dividir o restante com os outros.

Não, não sou adepta do amor livre, antes que me perguntem. Acho que precisamos dividir o amor com outras pessoas, com outras coisas, outras atividades. Precisamos mesmo é relaxar, deixar a vida acontecer, pegar leve. Utilizar e viver com o pouco que dá, extravasar de vez em quando, mas voltar a se conter.

O equilíbrio é difícil de ser conseguido, eu mesma busco ele todos os dias e todos os dias percebo que existem mil coisas para ajeitar e melhorar. Mas a grande questão é tentar equilibrar, manter o amor próprio em equilíbrio com o amor pelos filhos, ou pelo companheiro, ou pela família. Manter a sua vida sem depender do próximo e ao mesmo tempo ter a sua necessidade básica suprida. 

Chega de tanta exploração, de querer o outro por completo, um parte já não basta? Chega da mania de dominação. Você quer ser feliz com alguém ou provar que é dono de alguém? Quer ter o controle ou ser surpreendido pela vida? 

Eu escolho ser surpreendida, amar sem medo e me doar o quanto posso, exigir o que preciso e nada mais, conversar e trabalhar para atingir o equilíbrio emocional. Já dizia o Pe Marcelo Rossi em seu livro Ágape: "Meu filho, amar é uma decisão, não um sentimento. Amar é dedicação".

Janaina de Oliveira

Quarta-feira de cinzas



Hoje é um dia muito importante pra mim e eu nem sequer me dei conta disso até pouco tempo atrás, quando cheguei na missa atrasada, depois de meses sem pisar em uma igreja.

Há exatamente um ano, na quarta-feira de cinzas de 2102, eu entrei em uma igreja lotada e chorei ouvindo o que as preces do padre diziam, fui lá com intenção de pedir ajuda para Deus, fui pedir forças para enfrentar alguns problemas, que é bem verdade eu já vinha enfrentando [e melhorando] há algum tempo, mas aquele dia foi um dia de promessas, foi um dia de esperanças e de mudanças.

A quarta-feira de cinzas marca o inicio da quaresma, que é uma época de penitência para todos os católicos, onde os fiéis dividem e vivem um pouco do sofrimento de cristo. A quaresma é um tempo de mudanças, de melhorias e de meditação. Pelo menos é o que é para mim desde o ano passado.

Quem me conhece sabe que eu procuro melhorar a cada dia e que pretendo permanecer assim [melhorando] até o fim da minha vida. Sei que erro todos os dias e tem pessoas que acham que querer melhorar e errar é perda de tempo. Eu acho que é o jeito certo de viver a vida, afinal quando você acha que chegou no topo, de lá é possível ver as milhões de outras montanhas, mas espessas, mais altas, mais frias. Outros caminhos que põe em prova tudo o que você viveu e o que é certo já não se torna tão certo...

O caso é que eu, que passei os últimos dias bem agoniada, saí de lá bastante feliz. Percebi o quanto melhorei no último ano, por quantas coisas eu passei de lá pra cá, quantas coisas eu ganhei. E não eu não me pergunto se isso tudo é para mim, porque eu sei que é, nunca estive tão certa de que estou onde eu deveria estar.

Percebi que preciso continuar minha luta e ser mais forte, dar passos ainda maiores e melhorar, melhorar e melhorar. Preciso ser forte e continuar e preciso me manter perto do que me fortalece, do que me faz bem e feliz, porque as adversidades estão por todos os lados, mas só depende de mim treinar a cada dia, incansavelmente, para aguentar o baque da vida.

Janaina de Oliveira

Feriado de carnaval


Nesse feriado, tem gente que vai curtir, que vai viajar para cair na folia. Dou toda força, acho mesmo que a gente que aproveitar a vida enquanto ta vivo, porque ninguém sabe até quando vai o seu tempo aqui na terra. 

Eu, esse ano, vou trabalhar no carnaval. Não só trabalhar, claro. Pretendo descansar e curtir um pouco também. Mas na maior parte do meu tempo vou trabalhar, organizar uns projetos antigos, arrumar umas coisas, finalizar projetos e dar andamento a outros. Terei cinco dias de folga do trabalho na agência! Isso seria quase férias!  

Preciso finalizar minha documentação de viagem, gravar uns vídeos, editar tudo, deixar tudo pronto para o pós-carnaval, que é onde meu trabalho regulariza [assim espero] e as coisas voltam a ficar mais encaixadas, ta tudo uma loucura! 

Vou tentar dar uma andada na arrumação aqui do blog também, dar um ranking para minhas prioridades e tocar a bola para frente, senti que meu ritmo caiu nesse início de ano e nem sei bem porquê, já que vinha com o gás todo. Mas vamos andando que o importante é sempre continuar em frente.

Haaa pretendo visitar o mar também, pegar um sol e um vento na cara, quem sabe não rola uma mini viagem nesses dias, vou aproveitar para namorar um bucadinho também, que sou filha de Deus né?

E será que dá tempo disso tudo?

Janaina de Oliveira

Novo Layout

Decidi inovar e mudar a cara do blog, deixar ele mais moderninho e menos comum. Como 2013 chegou de mansinho, janeiro foi um mês chatinho e fevereiro promete ser mais movimento e trazer muito trabalho, vamos começar as mudanças.

Pretendo escrever muito esse ano, sobre novos assuntos até, ainda não sei se farei um novo blog para falar das maiores mudanças ou se continuarei por aqui mesmo, mas assim que eu decidi aviso a vocês. Quero novos projetos para minha vida e quero falar deles aqui, mas vou ficando por aqui por hoje.

Espero que gostem da nova cara do blog e aguardem mais mudanças.

Janaina de Oliveira